Base Líquida - Studio Fix Fluid da MAC


Hoje eu vou falar sobre a base mais famosa do mundo dos cosméticos: Studio Fix Fluid da MAC. Ela pode não ser a melhor, mas com certeza é a mais “badalada” e pesquisada pelas vaidosas deste mundão a fora.

Sou muito sincera, vocês sabem disso. Então, vamos começar esta resenha que será bem detalhada. A MAC informa que a Studio Fix é a melhor base da marca para quem gosta de cobertura e tem a pele oleosa. Será que isso é verdade mesmo?

Bom, minha relação com a Studio Fix já foi do ódio ao amor.

Comprei ela pela primeira vez em 2013 no Duty Free da Argentina. Eu ainda era meio perdida no quesito base e a atendente me indicou ela. Testou na minha pele, me fez de marionete e disse que ela era a ideal para mim. Escolheu a cor e eu fiz aquele velho “mercadinho” na MAC quando era vantajoso comprar no Duty Free (com esse dólar de hoje, nada é vantagem).

Quando cheguei ao Brasil, comecei a usar a base e não gostei.

Achei ela fluida DEMAIS, não curti a cobertura, achei que não cobria nada das minhas imperfeições e achei também que deixava a minha pele oleosa. Fora tudo isso, comecei a achar que a vendedora escolheu errado a cor da minha base. Enfim, joguei ela no fundo da gaveta, fiquei com raiva dela, pensei até em doar, mas criei uma imagem tão ruim da base, que eu achava que ninguém merecia aquela doação.

Ano passado, criei o Vaidade Sem Frescura e comecei a me aprofundar em todo este universo dos cosméticos. Comprei livros, pesquisei bastante na internet, assisti vídeos no Youtube, li resenhas de outras blogueiras e desenvolvi mais técnica e mais conhecimento sobre o assunto, dia após dia. Comecei a perceber que muita gente gostava da Studio Fix Fluid da MAC e pensava: “Oxente, esse povo está doido, é? Será que estamos falando do mesmo produto?”.

Com o tempo, comecei a freqüentar muito uma loja da MAC e fiquei amiga do gerente desta loja lá em São Paulo. Comentei que não entendia o fanatismo de muitas mulheres com a Studio Fix. Ele comentou comigo que também não entendia, que gostava muito mais da Pro Longwear, por exemplo, mas que as mulheres chegavam nas lojas totalmente determinadas: “Eu quero a base Studio Fix Fluid”. Tanto ele quanto os demais vendedores tentavam apresentar as outras opções de base da marca, mas para algumas clientes isso não funcionava, elas só queriam a Studio Fix e muitas nem queriam provar o produto, já compravam. Na mesma hora eu pensei: “Ah, isso é modinha!”.

Um dia postei no Instagram do Vaidade Sem Frescura (@vaidadesemfrescura) que eu não entendia de verdade o motivo de tanta gente gostar da Studio Fix. Coloquei um texto enorme na legenda com minha opinião sincera, totalmente franca. Várias seguidoras me apoiaram e falaram que detestava a base também e não entendia. Muitas reclamavam que a base deixava a pele com mais aspecto de oleosa do que ela já era ao natural. Reclamaram do aspecto de reboco, enfim, foram muitas reclamações.

Até que uma maquiadora comentou dizendo que “ainda bem que eu não era maquiadora, por isso eu não gostava, logo não entendia nada”. Rapaz, puxei um ar, mas um ar, fiquei com uma raiva doida. Na época, bati boca com ela e fim.

Um belo dia eu estava no Shopping Iguatemi passeando, meio sem ter o que fazer e sem querer ir pra casa, sabe? Resolvi entrar na MAC Pro e fingir que eu não conhecia a Studio Fix. Pensei: vou dar uma segunda chance pra entender esta base. Fiz a “vibe leiga” e a vendedora me atendeu super bem.

Descrevi o meu tipo de pele e o que eu buscava em uma base. Disse que tinha pele oleosa e imperfeições para cobrir. Ela não pensou duas vezes e me trouxe a Studio Fix Fluid. Fez o teste no meu pescoço e pegou outro tom, diferente do que eu tinha em casa. Eu usava NW10, ela pegou NC10.

Aplicou direitinho e minha pele ficou de fato bonita. Me surpreendi e resolvi levar a base. Fui o caminho inteiro pensando: “Rapaz, eu estou doida, é? Detesto esta base, tenho uma lá em casa jogada no fundo da gaveta e compro outra?”. Enfim, arrisquei.

Comecei a usar e me esforçar pra gostar, afinal eu gastei 119 reais.

Fui usando, usando e a primeira conclusão que cheguei: a cor que a argentina tinha escolhido pra mim em 2013 realmente estava errada, eu sou NC10 e não NW10.

De repente, vi a minha opinião mudando aos poucos a respeito do produto. Eu comecei a gostar da base. Acho uma falha imensa o potinho dela não ter pump e você ter que tirar o produto meio que na porrada, batendo o frasco no dorso da mão, mas eles já vendem o pump separado para você encaixar no frasco da base, custa 30 reais. Como eu sou canguinha, eu não quis pagar pelo pump e hoje quando uso a Studio Fix, vou na base da porradinha na mão mesmo.

Eu comecei a usar e hoje gosto muito desta base.

Adoro quando isso acontece. Quando compro um produto e odeio. De repente, resolvo dar uma segunda chance para ele e minha opinião muda. Acho isso o máximo.

Hoje eu adoro a Studio Fix, de verdade.

Ela tem FPS 15, é pouco, mas é alguma coisa. Ela tem um preço meio “OK” comparada as outras bases do mercado (bases da Nars, Benefit, Make Up For Ever ou até mesmo Contém 1g). Ela é bem fluida e tem uma cobertura média, não é alta. Para ficar alta você precisa construir camadas, o que eu não indico muito, porque a aplicação excessiva desta base pode oferecer para o seu rosto um efeito reboco, nada natural, sabe? Sou mais usar um corretivo antes e aplicar ela por cima depois.

Como não sou muito fã de corretivo e eu já disse isso várias vezes no Instagram, eu tenho algumas técnicas minhas, nada profissionais, coisas que eu faço que funciona comigo, ok?

Isso não quer dizer que vá funcionar com vocês também. Eu pego a base e aplico no dorso da mão, pego um pincel de blush que é mais fofinho e coloco gotas da Studio Fix no rosto (bochecha direita, bochecha esquerda, testa, nariz e queixo), ou seja, distribuo o produto nos pontos principais do rosto.

Espero alguns segundinhos, onde a base entra em contato com a pele e o ar e acaba ficando um pouco menos fluida do que na hora que ela sai do frasco. Depois desses segundos, eu começo a espalhar no rosto com batidinhas circulares, totalmente delicada, sem arrastar a base, apenas preenchendo e corrigindo as imperfeições. Pronto, fica show de bola. Esses segundos que eu espero, deixa ela mais grossinha, o que fica ideal para o resultado que eu busco.

A durabilidade dela é muito boa, mas ela transfere bastante, meu celular sofre, fica todo manchado.

Não sinto minha pele mais oleosa e olha que eu estou na Bahia e aqui o calor é igual do Senegal.

Também não sinto ela craquelar. O acabamento dela é matte.

O cheiro dela é ruim, bicha fedida, mas depois de alguns segundos o fedor passa.

Ela é mais indicada para usar a noite, já que ela não fica muito natural, pra ficar natural tem que aplicar bem pouco, entendem?

Resumindo, minha saga com a Studio Fix Fluid foi concluída com sucesso.

Hoje adoro a base, uso com uma freqüência grande e não vivo sem ela mais.

O mundo dá voltas, não é mesmo?

0 comentários:

Postar um comentário

procure aqui!

PRAZER, LANA!

<b>PRAZER, LANA!<b></b></b>
Sejam bem-vindas (os) ao Vaidade Sem Frescura! Um blog com dicas de beleza com foco em cosméticos, feito por Alana Benevides, uma vaidosa completamente apaixonada pelo mundo encantado das feminices. Será compartilhado neste espaço muitas resenhas sobre produtos diversos com sinceridade, leveza e uma pitada bem caprichada de bom humor.

Aproveitem o conteúdo!

 
vaidade sem frescura - 2015 • logotipo Evandro Ambrozi • design e código gabi melo